Viniyoga Krama, uma abordagem gradual e individualizada

 

 

Observando a natureza podemos compreender um pouco de sua ordem. Suas principais mudanças parecem respeitar o tempo e costumam se dar de forma gradual. O crescimento, as cicatrizações, as fases da lua, as estações, a mudança de tempo ou a chegada de uma tempestade, acontecem gradativamente. Conseguir respeitar essa ordem, e interferir de forma sadia, requer sabedoria. Normalmente não aceitamos as mudanças e nem seu ritmo. Pensamos e desejamos com muito imediatismo. Esperamos que as mudanças que queremos em nós aconteçam logo e espontaneamente.

 

O Yoga acredita na transformação do indivíduo, mas não podemos esquecer que o processo de refinamento da consciência também ocorre gradualmente e dependem de inúmeros fatores. Um deles é o tempo. Outro fator importante é a forma com que elas acontecem. Esse é um tema muito importante contido no Yogasūtra, que pode e deve ser aplicado em todos aspectos da vida. Para que as práticas de Yoga sejam benéficas, propiciem a evolução do praticante, e para que os objetivos da vida sejam alcançados, devemos utilizar uma abordagem conhecida como Viniyoga Krama. 

 

Viniyoga Krama significa buscar a progressão que leva à mudança, de maneira gradual e personalizada. Este é um ponto muito importante a ser entendido dentro do Yoga, e merece muita reflexão. O ritmo imposto pelos dias de hoje parece não respeitar muito o tempo natural das coisas. Além disso, somos bombardeados por uma cultura de massa que nos pressiona a cabermos em fórmulas e metodologias genéricas. Certamente é muito mais fácil pensar em uma fórmula única para todas as pessoas, mas aceitar isso seria pensar a vida de maneira padronizada e impessoal. Tendemos a questionar estes moldes a medida que vamos aumentando a consciência sobre nós mesmos. O Yoga, assim como o Ayurveda, trata cada indivíduo como um ser único. Mesmos que sejamos parecidos, possuímos individualidades que, dependendo de nosso humor e capacidade, geram reações distintas. Devemos respeitar nossas peculiaridades e as diferentes fases pelas quais passamos. Aquilo que precisávamos ontem não é necessariamente o que iremos precisar amanhã. Aquilo que serve ao semelhante pode não nos servir. Possuímos características diferentes, passamos por experiências diferentes e temos ritmos diferentes. Para vermos as transformações que buscamos em nós acontecerem, precisamos respeitar esses fatores e entender como as mudanças ocorrem. 

 

O impulso por mudança pode se dar de forma consciente ou inconsciente. Na maioria das vezes, as mudanças acontecem impulsionadas pela pressão decorrente de uma saturação. Esta resposta impulsiva do inconsciente nos faz migrar de um extremo ao outro. Na maioria das vezes, quando isto acontece, infelizmente essas mudanças não se mostram duradouras. Quando não se constrói um alicerce psicológico estável, a tendência é que o padrão antigo consiga se restabelecer.

 

É preciso ter muito cuidado com as mudanças radicais. Independente se é impulsionada por uma catarse, por um fato marcante ou por um instante de lucidez, quando não se sustenta, tende a induzir o indivíduo a o outro extremo e gerar desânimo e depressão.

 

O movimento para a mudança também pode se dar de forma consciente. A questão é que muitas vezes traçamos metas que estão distantes de nossa realidade. Com isto, as chance de obter êxito em alcançar este objetivo são muito pequenas.

 

O conceito de Viniyoga Krama sugere que tracemos pequenos objetivos que gradualmente nos conduzam a meta final. Nele a evolução não é representada por uma reta ascendente, mas com um movimento semelhante a subida de uma escadaria onde cada degrau representa uma pequena conquista. Trata-se de um movimento composto por dois momentos, o primeiro momento é evoluir e o segundo é estabilizar. A altura de cada degrau deve variar de acordo com nossa capacidade de alcançar a próxima meta, e sua extensão deve respeitar o tempo que precisamos para estabilizar essa nova conquista. Isto certamente não irá formar uma escada com degraus uniformes, e criará uma escadaria distinta para cada indivíduo. Precisamos aprender a construir nossa própria escadaria, tanto para as práticas de Yoga, quanto para a vida em si.

 

© ® Diego Koury -Todos os direitos reservados. | © Foto background - Emmanuelle Bernard. | Design do site - Claudia Anelli